¿Eldígoras?

Eldígoras, hojas de lengua, literatura y arte, fue creado en febrero de 2001 por Francisco Javier Cubero.

En agosto de 2011 inicia una nueva andadura en un nuevo formato, todas las secciones antiguas se mantendrán y serán accesibles desde el enlace anterior, hasta que se vayan actualizando y adaptando a la nueva configuración.

Comentarios

"Letras do Fado", exposición de Agostinho Bento de Oliveira, octubre de 2011 en la Galería Municipal de Ourém (Portugal)

Cartel de Letras do FadoSentiam
A nostalgia do fado
Na minha voz
Pouco amorosa mas quente;
-Numa lágrima,
Dizia,
O meu passado e o meu presente.

António Botto

A palavra e o Fado


A melodia, os tons,a vibração, os gestos,o vestido… Tudo no Fado canta, chora, ri, todas as palavras expressam ciúmes, saudade, luto, solidão e esperança.

As palavras são a essência do Fado

As Letras, poesia culta o versos improvisados, contam histórias, evocam cenas, caracterizam personagens, expressam sentimentos que se transformam em emoções.

Entender a Palavra no Fado é desenvolver a realidade das sensações, um organismo vivo de onde se transmite a imortalidade do conhecimento e a essência universal.

Estudar a idéia da palavra Fado, é transformar a concepção da mesma e chegar a um novo conhecimento das emoções, o momento em que a saudade se encarna, recorda a alma e a perfeição das coisas.

A palavra e a pintura no Fado é a idéia pura e perfeita que necessita da alma e da saudade para se recriar, de qual nada existe, nem escrito nem pensado .

Aprender a essência da palavra permite nos uma nova retórica e utilizar-la de forma inteligente e pessoal, sem nos basearmos no conhecimento das coisas existentes mas sim, defendendo o ideal plantado.

Quando falo da palavra e do fado, falo das artes que mais reclamam as mais delicadas cores, as sensações mais subtiles e atrevidas da dentro da criatividade.

A palavra no Fado possui uma riqueza exuberante e expressa sentimentos e os seus desejos, uma forma de vida, uma filosofia de amor e desamor as artes.

Sinto a imagem da Fadista, a gestualidade, o movimento do corpo, os olhos semicerrados como se afogados numa agonia suave, a cabeça para trás e o corpo balançando suavemente ao ritmo da musica.

“Aceitei a velhice com a mesma naturalidade com que aceito os dias de sol, chuva ou vento.”
Amália Rodrigues

Os Fados e as palavras, são 6, os que mais me envolveram e se refletiram no movimento e nas cores. Não esqueço a minha humildade ao evocar Amália, sim, parto da vontade de sentir o vibrar da voz, a postura e o “Obrigada, muito obrigada” de quando terminava de atuar de braços aberto e levantados, olhos cristalinos.



Comentarios ( 0 )

Deja tu comentario